Brasil e China querem aumentar a parceria bilateral

Empresas chinesas apresentam produtos com novas funcionalidades e tecnologia de inteligência artificial.

Com a presença de Chen Peijie, cônsul geral da China em São Paulo, de Hany Chiang, diretor de relações internacionais do bureau de  desenvolvimento do comércio exterior, de Wang Guiging vice-presidente da câmara de comércio da China, de Stephan Salej, representante da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)  e de Carlos Clur, presidente do Grupo Eletrolar, foi aberta na tarde desta segunda-feira (29.07) a Latin American Electronics International Trade Show, que tem a  participação de quase 140 empresas chinesas.

As autoridades da China lembraram que 2019 marca o 45º aniversário das relações diplomáticas entre Brasil e China. Nos últimos anos,  as relações bilaterais entre China e  Brasil superaram a casa dos 100 bilhões de dólares. “A China e o Brasil vem desenvolvendo uma parceria amistosa, de complementaridade e vão contribuir para construir um mundo de negócios mais aberto. Uma feira como essa é uma plataforma para promover esse comércio”, destacou a cônsul geral.

O representante da Fiesp afirmou que a China é parceria do desenvolvimento brasileiro e que as exportações para aquele país geram milhares de empregos. O vice-presidente da Câmara de Comércio contou que a China está construindo uma cadeira produtiva mais completa. “As empresas estão investindo em pesquisas e em novos produtos, que tenham funcionalidades e tecnologia de inteligência artificial.” As empresas brasileiras também foram convidadas a participar da feira de importação da China. O presidente do Grupo Eletrolar, Carlos Clur, falou de sua satisfação com a feira. “Estamos contentes com essa parceria e nos esforçando para dar o melhor atendimento aos expositores.”

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários