Portal Eletrolar.com

Notícias

Produção industrial cresce em oito de 14 locais em novembro, aponta IBGE

O maior avanço percentual foi registrado no Espírito Santo, com alta de 5,8% frente a outubro

Oito de 14 locais pesquisados apresentaram crescimento da produção industrial em novembro, na comparação a outubro, de acordo com dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) Regional, divulgada nesta quinta-feira (11.01) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O maior avanço percentual foi registrado no Espírito Santo, com alta de 5,8% frente a outubro. Foi a segunda expansão consecutiva no Estado, acumulando alta de 7%.

Na sequência aparece a Bahia, com produção 3,5% maior no mês, eliminando parte da perda de 8% acumulada em setembro e outubro.

Na média das 14 regiões, a produção industrial cresceu 0,2% de outubro para novembro, conforme dados divulgados pelo IBGE na semana passada. Nesta quarta-feira, o IBGE informa esse resultado detalhado por regiões.

Outros destaques positivos, sempre na comparação a outubro, foram: Pernambuco (2,6%), Minas Gerais (2,4%), Rio Grande do Sul (1,4%), Pará (1,1%), São Paulo (0,7%) e a região Nordeste (0,2%).

Por outro lado, os resultados negativos mais intensos neste mês foram no Amazonas (-3,7%), que devolveu o avanço de 3,7% observado em outubro, informou o IBGE.  Rio de Janeiro teve queda 2,9%, eliminando parte da expansão de 13,3% acumulada entre agosto e outubro, período em que avançou com a retomada de uma refinaria. Também fecharam o mês em baixa: Ceará (-2,3%), Paraná (-0,9%), Goiás (-0,6%) e Santa Catarina (-0,1%).

Ano

Na comparação a novembro de 2016, a expansão da produção alcançou 14 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE. Por essa base de comparação, a indústria mostrou crescimento de 4,7% em novembro, na média nacional.

Os destaques positivos, em termos de magnitude percentual da alta, foram Goiás (17%) e Pará (10,7%). Goiás foi impulsionado, principalmente, pelos avanços na produção de alimentos. Pará teve uma contribuição decisiva do minério de ferro.

Também avançaram Santa Catarina (8%), São Paulo (7,1%) e Rio de Janeiro (5,6%), Ceará (3,5%), Paraná (3,2%), Mato Grosso (3,1%), Região Nordeste (2,5%), Minas Gerais (2,5%), Pernambuco (2,1%), Espírito Santo (1,7%), Bahia (0,8%) e Amazonas (0,6%).

Por outro lado, Rio Grande do Sul (-0,2%) apontou o único recuo em novembro de 2017, pressionado, em grande parte, pelo recuo na atividade de máquinas e equipamentos.

São Paulo

Maior parque fabril do país, São Paulo registrou crescimento de 0,7% na produção industrial em novembro, na comparação a outubro – desempenho que se mostrou determinante para o aumento da da produção industrial nacional, que cresceu 0,2% no mês.

O avanço reverte parte da perda de outubro, quando a indústria paulista havia recuado 1%.  Quando comparado ao mesmo mês do ano passado, a produção industrial de São Paulo mostra expansão mais robusta, de 7,1%. Foi a sétima taxa positiva consecutiva por essa base de comparação. De janeiro a novembro de 2017, a alta foi de 3%. O avanço da produção industrial em São Paulo frente a novembro de 2016 foi disseminado, com aumento em 14 das 18 atividades investigadas.

Entre os setores com destaque positivo, na base de comparação a novembro de 2016, estão veículos automotores, reboques e carrocerias (17,2%); coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (15,1%). Outras pressões positivas vieram das atividades de outros produtos químicos (8,8%), de metalurgia (20,7%), de máquinas e equipamentos (7,8%), de produtos de borracha e de material plástico (9,2%) e de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (16,6%).

Fonte: Valor Econômico

publicidade