Portal Eletrolar.com

Notícias

Polo Industrial de Manaus inicia segundo semestre em alta

Com faturamento de R$ 15,19 bilhões no período de janeiro a julho, o segmento Eletroeletrônico segue com maior representatividade no faturamento global do PIM


O Polo Industrial de Manaus (PIM) teve um início de segundo semestre com indicadores favoráveis de faturamento, exportações e produção, entre outros. Em julho, o faturamento do PIM foi de R$ 7,72 bilhões, o que indica um aumento de 26,15% na comparação com o mesmo mês do ano passado (R$ 6,12 bilhões). Em dólar, o faturamento mensal de US$ 2.06 bilhões representou um crescimento de 5,1% ante o valor de julho de 2017 (US$ 1.9 bilhão).

No faturamento acumulado dos sete primeiros meses de 2018, o PIM apresenta um resultado de R$ 51,75 bilhões (US$ 14.87 bilhões), o que equivale a um crescimento de 18,47% em relação ao mesmo período do ano passado (crescimento de 7,87% em dólar).

As exportações também tiveram alta, totalizando US$ 286.36 milhões no período de janeiro a julho de 2018, o que perfaz um crescimento de 7,76% na comparação com os US$ 265.74 milhões apurados no mesmo intervalo de 2017.

A mão de obra do PIM, em julho, foi de 85.560 trabalhadores, entre efetivos, temporários e terceirizados. O resultado é 1,53% inferior ao apurado no mesmo mês do ano passado, quando havia 86.894 postos de trabalho no Polo. No entanto, a média mensal de empregos gerados pelo PIM em 2018, até julho, foi de 86.771 trabalhadores, indicando saldo positivo de 1.312 vagas (ou crescimento de 1,54%) na comparação com a média de empregos do mesmo período de 2017 (85.460 trabalhadores).

Segmentos e produtos

Com faturamento de R$ 15,19 bilhões no período de janeiro a julho, o segmento Eletroeletrônico segue sendo o setor com maior representatividade no faturamento global do PIM, atingindo 29,36% de participação. Na sequência, aparecem os setores de Bens de Informática do Polo Eletroeletrônico, com faturamento de R$ 10,74 bilhões e participação de 20,77%; Duas Rodas, com R$ 7,25 bilhões e 14,01%; Químico, com R$ 6,77 bilhões e 13,08%; e Metalúrgico, com R$ 3,13 bilhões e 6,06%.

Diversos itens representativos desses segmentos, em especial dos setores Eletroeletrônico (incluindo Bens de Informática) e Duas Rodas, tiveram incremento de produção no acumulado dos sete primeiros meses do ano.

No caso do Polo de Duas Rodas, as motocicletas, motonetas e ciclomotos, com 599.325 unidades fabricadas, e as bicicletas (inclusive elétricas), com 399.073 unidades, tiveram aumento, respectivamente, de 21,14% e 9,28%.

Já os televisores com tela de cristal líquido – principal produto fabricado pelo PIM – continuam em trajetória ascendente. No acumulado de janeiro a julho, foram 7,37 milhões de unidades produzidas, o que equivale a um crescimento de 24,72% ante o mesmo intervalo de 2017. Os telefones celulares, por sua vez, alcançaram 8,66 milhões de unidades produzidas e crescimento de 7,19% no mesmo período.

O segmento de condicionadores de ar também permanece com produção em alta. Os aparelhos do tipo split system, com 1,38 milhão de unidades fabricadas, apresentaram crescimento de 14,88%. Os condicionadores de ar de janela ou de parede, por sua vez, tiveram 150.571 unidades produzidas, o que indica um crescimento de 59,83%.

Outros produtos que apresentam aumento expressivo de produção são os microcomputadores, tanto de mesa (desktops) quanto portáteis. No caso deste último, foram 456.533 unidades produzidas até então no ano, com crescimento de 62,8%. Já os microcomputadores desktops, com 124.608 unidades fabricadas, apresentaram aumento de 57,94%.

Avaliação

De acordo com o superintendente da Suframa, Appio Tolentino, os indicadores de desempenho do Polo Industrial de Manaus devem seguir uma trajetória de crescimento até o final do ano. “Ainda não alcançamos os patamares ideais de empregabilidade e faturamento do Polo Industrial, mas estamos trabalhando em ações estruturantes, tanto institucionalmente quanto para os pilares do marco regulatórios dos incentivos fiscais, para proporcionar o melhor ambiente de negócios e impulsionar os números do valor adicionado da economia do Estado do Amazonas”, afirmou Tolentino.

Fonte: Suframa

publicidade