Portal Eletrolar.com

Notícias

PIM fatura R$ 67,8 bilhões até setembro

O polo Eletroeletrônico teve a maior participação no resultado global de faturamento, seguido por Bens de Informática.

Até o terceiro trimestre do ano, o Polo Industrial de Manaus (PIM) faturou R$ 67,8 bilhões, volume que representa um crescimento de 15,32% em relação ao mesmo período do ano passado (R$ 58,8 bilhões). Em dólar, o faturamento acumulado de janeiro a setembro foi de US$ 18.8 bilhões, significando incremento de 1,24% na comparação com o mesmo intervalo do de 2017 (US$ 18.6 bilhões).

Foi detectada, ainda, uma elevação de 19,45% na exportação de produtos do PIM em moeda nacional e de 3,93%, em dólar, na comparação do acumulado até setembro deste ano com o mesmo período do ano passado.

Em setembro o registro total de mão de obra do ano foi de 86.168 trabalhadores, entre efetivos, temporários e terceirizados.  O número é 0,92% inferior ao total de vagas registrado no mês anterior, agosto (86.990). Já a média mensal acumulada até setembro é de 87.460 empregos.  O número é 0,67% maior que a média acumulada em 2017 (86.872).  Até o terceiro trimestre do ano ocorreram 17.853 admissões e 17.973 demissões, com déficit de 120 vagas.

Segmentos

Ainda de acordo com as informações fornecidas pelas empresas incentivadas do parque fabril de Manaus, o polo Eletroeletrônico teve a maior participação no resultado global de faturamento do PIM, com R$ 19,1 bilhões faturados até setembro e respondendo por 28,21% do total. Em seguida, estão os segmentos de Bens de Informática (R$ 14,1 bilhões), com participação de 20,87%; Duas Rodas (R$ 9,59 bilhões), com 14,14%; e Químico (R$ 8,8 bilhões), com 12,98%.

Os setores que apresentaram crescimento na comparação de janeiro a setembro de 2018 com o mesmo intervalo de 2017 foram: Bens de Informática do polo Eletroeletrônico (18,23% em moeda nacional e 3,55% em dólar); Duas Rodas (21,02% e 6,05%); Termoplástico (18,56% e 3,52%); Beneficiamento de Borracha para Bens de Informática (18.561,78% e 14.983,79 %); Bebidas (18,47% e 4,10%); Metalúrgico (18,30% e 3,27%); Papel e Papelão (21,05% e 6,13%); e Químico (25,22% e 8,81%).

Produtos

Entre os produtos que apresentaram incremento relevante de produção no acumulado do terceiro trimestre de 2018, em relação ao mesmo período do ano anterior, destacam-se o condicionador de ar de janela ou de parede de corpo único (102,55%); telejogo (78,29%); microcomputador portátil (39,64%) home theater (37,55%); microcomputador desktop (33,93%); e motocicleta, motoneta e ciclomotor (20,50%).

Em termos de volume de faturamento apresentado, os dez principais produtos fabricados pelo PIM de janeiro a setembro de 2018 foram: televisor com tela de cristal líquido (R$ 12,54 bilhões e US$ 3.56 bilhões); motocicleta, motoneta e ciclomotores (R$ 7,48 e US$ 2.07 bilhões); telefone celular (R$ 7,33 bilhões e US$ 2.03 bilhões); condicionador de ar do tipo split (R$ 2,17 bilhões e US$ 602.7 milhões); placa de circuito montada para uso em informática (R$ 1.47 bilhão e US$ 409.1 milhões); receptor de sinal de televisão (R$ 902 milhões e US$ 245.2 milhões); forno micro-ondas (R$ 861.2 milhões e US$ 237.9 milhões); relógio de pulso e de bolso (R$ 824,5 milhões e US$ 228.1 milhões); autorrádio e aparelhos reprodutores de áudio (R$ 735,9 milhões e US$ 230.6 milhões); e bicicletas, inclusive elétrica (R$ 535,5 milhões e US$ 167.4 milhões).

Resiliência

O superintendente da Suframa, Appio Tolentino, avalia que o mês de setembro repete a tendência verificada durante o ano, trazendo números de recuperação do ciclo de atividade econômica do PIM em relação aos últimos três anos. “Fica demonstrado, mais uma vez, a resiliência do modelo ZFM e sua capacidade de superar profundas crises como a que enfrentamos a partir de 2015”, salientou.

Fonte: Suframa

publicidade