Portal Eletrolar.com

Notícias

Nos detalhes está o sucesso do varejo

Com um olho na tradição e outro no futuro, Móveis Millena implementou um conjunto de ações nos últimos anos, que incluiu um rígido controle de despesas, a opção por uma equipe enxuta, o preço justo e o trabalho forte na área de serviços.


O nome foi uma homenagem à neta, Mariana Millena, e a loja um presente para o filho, Carlos Antonio, que desde os 13 anos de idade trabalhava no comércio do pai, que vendia móveis e eletrodomésticos na cidade de Escada, que fica a 60 km de Recife (PE). Antonio Cavalcanti Pereira, o pai, queria que o filho também pudesse administrar o próprio negócio e, por isso, em novembro de 1994 nasceu, na mesma cidade, a Millena Móveis.

Em quase 24 de atividades, o avanço foi grande. Hoje, são 53 lojas nos estados de Pernambuco e Alagoas, com cerca de 1.000 colaboradores diretos e um centro de distribuição, em Escada, que está sendo ampliado para 16 mil m², e dois depósitos, em Caruaru (PE) e em Maceió. (AL). Também aumentou o número de itens comercializados, agora, abrange linhas branca e marrom, móveis, eletroportáteis, telefonia, informática e seguros Garantia Estendida e Roubo e Furto com Quebra Acidental.

No ano passado, a empresa cresceu 16,6% na comparação com 2016, superou as próprias expectativas. Este ano, a meta é crescer 12% sobre 2017, conta o gerente-geral, José Carlos de Araújo, único componente da diretoria que não é da família fundadora. “Isso se deve ao conjunto de ações que implementamos ao longo dos últimos cinco anos, como o rígido controle de despesas, uma equipe enxuta, preço justo para o consumidor e trabalho forte na área de serviços.”

Cuidados com a retaguarda

A empresa mantém uma estrutura familiar na direção, com Carlos Antonio de Oliveira Pereira como diretor-presidente, Cassiana Cristina de Oliveira Pereira, sua esposa, como diretora financeira, e a mãe, Maria das Graças de Oliveira, no cargo de gerente contábil. Atenta às necessidades do mercado, em 2012 percebeu a necessidade de profissionalizar a companhia e passou a contratar executivos para ajudarem na gestão do negócio.

Com o novo esquema, a rede reformulou o seu sistema de retaguarda justamente para supor o crescimento, e postergou a entrada no e-commerce, diz José Carlos. “Trata-se de um segmento que não podemos deixar de atuar, apesar de ter margem bem pequena de lucro. Exige bom sistema de gestão e logística, prevemos iniciar as operações no e-commerce no primeiro semestre de 2019.”

Na comunicação, a rede se vale das redes sociais, como Facebook e Instagram, de tabloides, de e-mails, do serviço de atendimento ao consumidor e da presença nas principais emissoras de rádio e televisão nas regiões onde tem unidades. Nas praças onde o carro de som é um elemento forte de comunicação, recorre a ele. Em janeiro deste ano iniciou a negociação com uma empresa para implementar outra ferramenta de relacionamento, o programa de fidelização.

Chegada ao shopping

Em 2017, a empresa abriu oito lojas e no mês de novembro inaugurou a sua primeira operação em shopping center. O escolhido foi o Shopping Tacaruna, na região metropolitana de Recife. Em abril deste ano, abriu mais duas unidades em centros de compras: no Paulista North Way Shopping e no Patteo Olinda Shopping, ambos na região metropolitana do Recife. Antes, em março de 2018, inaugurou uma loja em São Lourenço da Mata, em Pernambuco.

No ano passado, a Millena Móveis também ampliou fronteiras, ao iniciar os seus negócios no estado do Alagoas, com quatro lojas, número que aumentou para cinco em 2018 e deve chegar a 10 até o primeiro semestre de 2019, diz José Carlos. “Continuamos atentos às oportunidades do mercado, acreditamos que existe espaço para a abertura de novas lojas, tanto em Pernambuco como em Alagoas.

As maiores lojas da rede contam, aproximadamente, com 1.500 m² e as menores, têm cerca de 300 m². Todas ostentam o mesmo visual. “No final de 2014 fizemos a atualização da marca, tornando-a mais leve, agradável e sem perder sua identidade”, explica o gerente-geral. Neste semestre, a rede pretende implantar novas tecnologias nas suas unidades, como recursos virtuais para demonstrar produtos, o que reduzirá o tempo de atendimento ao consumidor.

Mudanças no varejo

Há cerca de dez anos, José Carlos percebeu que o varejo brasileiro estava iniciando um forte processo de mudanças, exigindo, inclusive, a participação de executivos de outros segmentos, como o financeiro, para olhar a operação no detalhe, loja a loja. “Em 2013, fui contratado para fazer isso. Quem não o fez, ficou no meio do caminho, hoje só está no mercado que olhou para seus custos. Isso foi positivo para o nosso segmento. Por outro lado, a concorrência apertou, os preços viraram commodities e o cliente ficou mais exigente”, explica.

Outros desafios convivem diariamente com os varejistas, lembra o executivo. “O maior deles é a popularização dos smartphones, que permite o acesso cada vez mais comum à internet e às redes sociais, por isso, o varejo precisa estar conectado com essas ferramentas. Os investimentos são altos, mas é necessário mostrar a cara, pois quem estiver fora dessas frentes não será perdoado por seus consumidores.”

Com a estabilização da economia nos dois últimos anos, a queda da taxa de juros e um consumidor mais confiante, que tem ido às compras, a empresa está otimista. “O mercado varejista continua em expansão, se os números previstos se concretizarem, teremos resultados bem animadores este ano. O setor de serviços também está voltando a contratar, isto é muito positivo para a economia dos estados nos quais atuamos.”

Fonte: Leda Cavalcanti e Neusa Japiassu - Redação Eletrolar News

publicidade