Portal Eletrolar.com

Notícias

GE vai se desfazer da divisão de iluminação, símbolo de sua história

A GE também já se desfez de seu portfólio imobiliário, do negócio de eletrodomésticos e das mídias NBC e Estúdios Universal.

Ao anunciar o novo planejamento para a GE ontem 13.11, o CEO John Flannery afirmou que a empresa vai centrar seus esforços em seus negócios de saúde, energia e aviação. A divisão de iluminação, que simboliza a empresa fundada por Thomas Edison há 125 anos, não faz parte do futuro do conglomerado.

Em julho, a empresa já sinalizara que estava tentando vender seus negócios de iluminação, que são, de longe, a menor divisão da GE, representando apenas 2% da receita geral. Somente neste ano, a venda de lâmpadas caiu 66%.

A empresa planeja se desfazer de negócios avaliados em US$ 20 bilhões em um ano ou dois, incluindo a divisão de transporte, que abriga o negócio ferroviário centenário que fabrica locomotivas e equipamentos ferroviários.

Flannery afirmou ainda que o conglomerado está considerando “opções de saída” para a Baker Hughes (BHGE), fusão que une os negócios de petróleo e gás das duas empresas e da qual a GE é majoritária. Ao mesmo tempo em que afirmou que o negócio “está caminhando bem”, Flannery expressou sua preocupação sobre o quanto este depende dos preços voláteis da energia.

A GE também já se desfez de seu portfólio imobiliário, do negócio de eletrodomésticos e das mídias NBC e Estúdios Universal. Recentemente, desembarcou do negócio de água e de uma unidade que fabrica equipamentos elétricos para serviços. O objetivo da GE é se concentrar em ser uma empresa industrial moderna, que vende motores para aviação e para usinas de energia e máquinas de ressonância magnética.

Flannery afirmou que quer prestar contas melhores à GE, em parte, revendo sua estrutura salarial. De acordo com o novo plano, cerca de metade da compensação dos executivos sêniores da empresa virá de recompensas de ações.

— É hora de reinventar a empresa. É hora de mostrar nossa paixão, nossa fúria e nossa determinação. O jogo começou — disse Flannery aos funcionários.

Corte de dividendos

Mais cedo, a GE, em comunicado assinado por Flannery, anunciou que pagará US$ 0,12 por ação em dividendos, em vez de US$ 0,24, como estava previsto, durante o trimestre em curso. Esta é a terceira vez que a empresa reduz dividendos em seus 125 anos. Os outros dois cortes foram durante a Grande Depressão e a crise financeira de 2009.

Em 2009, afetado por sua filial financeira GE Capital, o grupo adotou uma medida similar (de corte de dividendos), o que o presidente executivo da época, Jeff Immelt, considerou mais tarde a “pior decisão” tomada em seus 16 anos de gestão.
O novo planejamento para a empresa, amplamente esperado após a deterioração do fluxo de caixa da GE neste ano, deverá representar uma economia de cerca de US$ 4 bilhões em dinheiro anualmente.

“Estamos focados em gerar o retorno total a acionistas e acreditamos que esta é a decisão certa para alinhar nosso pagamento de dividendos à geração de fluxo de caixa”, disse Flannery, no comunicado.

Desde janeiro, a capitalização na Bolsa da GE registrou queda de mais de US$ 100 bilhões.

Fonte: O Globo

publicidade