Portal Eletrolar.com

Notícias

Fabricantes de processadores buscam novos horizontes além de smartphones

Esforços para impulsionar a capacidade de processadores de inteligência artificial, uma tecnologia chave por trás de carros autônomos, tem tido destaque na Computex

Demostração do robô doméstico Zenbo na Computex TaipeiFabricantes de chips mudaram de foco na principal feira de tecnologia de Taiwan nesta semana, apostando em novas áreas, como carros autônomos, realidade virtual e inteligência artificial, buscando diversificação em meio à intensa concorrência no segmento de smartphones que tem pressionado para baixo os preços de componentes.

Em meio a uma queda nos preços de processadores, companhias vinham buscando chamar a atenção com outros lançamentos, como o Zenbo, um robô doméstico desenvolvido pela Asustek Computer, que canta, tira fotos e ajuda nos afazeres domésticos.

Neste ano, a atenção retornou para os processadores, mas desta vez mais voltados para a “internet das coisas”, uma palavra de efeito usada para descrever conectividade entre um crescente número de dispositivos.

“Ano passado foram feitas muitas promessas, e neste ano há uma realização material”, disse Hugo Swart, chefe de desenvolvimento de negócios e gerenciamento de produtos de internet das coisas e eletrônicos de consumo da Qualcomm.

Esforços para impulsionar a capacidade de processadores de inteligência artificial, uma tecnologia chave por trás de carros autônomos, tem tido destaque na feira.

A companhia de computação visual Nvidia tem se concentrado na unidade de processamento gráfico Volta, produto de 3 bilhões de dólares em investimento em pesquisa e desenvolvimento. O processador será usado em carros “inteligentes”, tais como o da Tesla.

Embora fabricantes de chips, no passado, tenham apostado em desenvolvimento e pesquisa para atender a demandas do mercado global de smartphones, elas agora estão colocando essas capacidades para outros usos — como no caso da chinesa Goodix, que está desenvolvendo aplicativos de biometria para computadores e automóveis.

Fonte: Reuters

publicidade