Portal Eletrolar.com

Notícias

Desempenho das exportações e importações de produtos eletroeletrônicos

As exportações totalizaram US$ 421,9 milhões no mês de abril de 2017 e as importações US$ 2,25 bilhões,

Exportações e importações
As exportações de produtos eletroeletrônicos totalizaram US$ 421,9 milhões no mês de abril de 2017, 1,2% abaixo das realizadas em abril de 2016 (US$ 427,1 milhões).
As vendas externas de bens de GTD – Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica – apontaram a maior taxa de retração do setor, atingindo -22,9%, com destaque para a queda de 80% nas exportações de painéis e quadros.

Caíram também as vendas externas de bens de Automação Industrial (-9,0%) e de Componentes Elétricos e Eletrônicos (-3,2%), destacando as reduções nas exportações de instrumentos e medida (-12%) e de componentes para equipamentos industriais (-19%), respectivamente.

As exportações de produtos das demais áreas cresceram, com taxas que alcançaram até 16,6%, em Equipamentos Industriais.Neste caso, destacou-se o incremento de 33% nas vendas externas de motores e geradores, que aumentaram de US$ 30 milhões, em abril de 2016; para US$ 40 milhões, em abril de 2017.

Em relação ao mês imediatamente anterior, as exportações recuaram 38,3%, com queda em todas as áreas do setor. É importante lembrar que, neste ano, o mês de abril teve 18 dias úteis enquanto março teve 23, influenciando este resultado.

Importações

As importações de produtos do setor, no mês de abril de 2017, somaram US$ 2,25 bilhões, 22,6% acima das ocorridas em abril do ano passado (US$ 1,84 bilhão). Com exceção de bens de GTD (-21,1%) e de Automação Industrial (-1,7%), aumentaram as importações de itens das demais áreas.

As maiores taxas de crescimento foram das importações de Componentes Elétricos e Eletrônicos (+33,1%), Material Elétrico de Instalação (+32,4%) e bens de Telecomunicações (+25,2%).
As importações de Componentes, além de apresentarem a maior taxa de incremento, também foram responsáveis pela maior parcela das importações de bens do setor, somando US$ 1,4 bilhão, representando 63% do total.

Dentre seus itens, destacaram-se as compras externas de componentes para telecomunicações e semicondutores, que aumentaram mais de 50% e juntas somaram US$ 829 milhões.

Na área de Material Elétrico de Instalação, destacou-se o aumento de 78% das importações de lâmpadas.E em Telecomunicações, notaram-se incrementos expressivos nas compras externas de aparelhos de radiocomunicação (+286%), aparelhos para radiodifusão (+117%) e cabos (+471%).

Por outro lado, recuaram as importações de bens de GTD, que sofreram a influência da queda significativa de 79% nas compras externas de grupos eletrogêneos, que passaram de US$ 14 milhões, em abril de 2016; para US$ 3 milhões, em abril deste ano.

Em relação ao mês imediatamente anterior, as importações recuaram 8,9%. Com exceção da área de Telecomunicações (+4,2%) reduziram-se as compras externas de bens das demais áreas.
Assim como ocorreu nas exportações, o menor número de dias úteis, no mês de abril em relação ao mês de março, contribuiu com o resultado negativo das importações.

Janeiro a Abril de 2017

Exportações

No acumulado de janeiro-abril de 2017, as exportações de produtos elétricos e eletrônicos somaram US$ 1,86 bilhão, 1,4% inferiores às registradas no mesmo período de 2016 (US$ 1,89 bilhão).
Essa queda foi resultado das retrações nas importações de Equipamentos Industriais (-11,2%) e de bens de Informática (-10,1%), uma vez que as demais áreas apontaram crescimento.

No caso de Equipamentos Industriais, essa queda resultou de variações negativas pontuais de alguns produtos, como: aparelhos para filtrar líquidos, equipamentos para filtrar gases, e dispositivos para tratamento de materiais por mudança de temperatura, que apontaram exportações expressivas para a China.
Em Informática, destacaram-se as quedas nas vendas externas de impressoras (-24%) e de máquinas de processamento de dados (-27%).

Por outro lado, as exportações de bens de Telecomunicações cresceram 34,5%, puxadas pelo aumento de 95% nas vendas externas de estações rádio base (US$ 41 milhões).
As exportações de Componentes Elétricos e Eletrônicos totalizaram US$ 774,1 milhões, 0,8% acima do igual período do ano passado. Dentre eles, destacaram-se os principais produtos exportados do setor: eletrônica embarcada (+13%), componentes para equipamentos industriais (-17%) e motocompressores herméticos (-6%), que tiveram comportamentos distintos.

Importações

As importações de produtos elétricos e eletrônicos somaram US$ 9,23 bilhões, no acumulado de janeiro a abril de 2017, 22,9% acima das ocorridas em igual período de 2016 (US$ 7,51 bilhões).

Com exceção de Automação Industrial (-9,1%), cresceram as importações de bens das demais áreas do setor. Em alguns casos, como: Componentes Elétricos e Eletrônicos, Material Elétrico de Instalação e Telecomunicações, o incremento ficou por volta de 30%.

Especificamente no caso de Componentes Elétricos e Eletrônicos (+31,9%), as compras externas totalizaram US$ 5,65 bilhões, representando 61% do total importado do setor. Destacaram-se os itens mais importados do setor: semicondutores (+76%), componentes para telecomunicações (+37%) e eletrônica embarcada (+25%).

Observou-se nas importações de semicondutores, o expressivo aumento de 684% nas importações de células solares, que passaram de US$ 21 milhões, em janeiro-abril de 2016, para US$ 167 milhões, em janeiro-abril de 2017.

Material Elétrico de Instalação foi a área que apontou a maior taxa de incremento (+36,3%), somando US$ 220,9 milhões. Esse resultado contou com a expansão de 92% nas compras externas de lâmpadas, cujo montante (US$ 109 milhões) representou quase a metade das importações totais de bens desta área.

No caso de Telecomunicações (+29,1%) foi significativo o aumento nas importações de telefones celulares (+37%), que passaram de US$ 143 milhões, em janeiro-abril de 2016; para US$ 195 milhões, em janeiro-abril de 2017.

Saldo Comercial

No acumulado de janeiro-abril de 2017, o déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos somou US$ 7,37 bilhões, 31% superior ao apontado em janeiro-abril de 2016 (US$ 5,63 bilhões).

O aumento do saldo da balança comercial ocorreu, principalmente, em decorrência do crescimento das importações, que vinham caindo nos últimos dois anos.
Com montante menos expressivo, a queda das exportações também contribuiu com o aumento do déficit.

Fonte: Abinee

publicidade