Portal Eletrolar.com

Notícias

Economistas voltam a prever inflação menor este ano

No relatório Focus de ontem, a projeção para a produção industrial de 2018 foi de alta de 2,43% para elevação de 2,26%.


Após o Brasil ter registrado deflação em agosto, os economistas do mercado financeiro passaram a prever alta de preços menor este ano. O Relatório de Mercado Focus, que traz uma compilação das projeções econômicas do mercado, indicou ontem 10.09, que a expectativa para o IPCA – o índice oficial de inflação – em 2018 passou de 4,16% para 4,05%. No caso de 2019, a projeção seguiu em 4,11%.

Na última quinta-feira (06.09), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA registrou deflação de 0,09% em agosto. O movimento foi visto pelo instituto como um realinhamento de preços depois da greve dos caminhoneiros, que havia impulsionado os preços nos meses anteriores.

A mudança no Focus indica que o impacto de alta, da greve dos caminhoneiros, sobre os preços, como esperava o BC, ficou limitado a poucos meses – no caso, maio, junho e julho. A projeção dos economistas para o IPCA segue dentro da meta de inflação perseguida pelo BC este ano, cujo centro é de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (índice de 3,0% a 6,0%).

Se por um lado a inflação está sob controle, por outro o crescimento esperado segue contido. A projeção de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano passou de 1,44% para 1,40% no Focus. No caso de 2019, a expectativa de alta permaneceu em 2,50%.

No fim de julho, o BC reduziu sua projeção para o PIB em 2018, de 2,6% para 1,6%. A instituição atribuiu a mudança na estimativa à frustração com a economia no início do ano.

No relatório Focus de ontem, a projeção para a produção industrial de 2018 foi de alta de 2,43% para elevação de 2,26%.

A combinação entre inflação baixa e crescimento lento fez os economistas do mercado financeiro manterem, no Focus, a expectativa de que a Selic (as taxa básica de juros) fechará 2018 no atual patamar, de 6,50% ao ano. Para 2019, em função do crescimento um pouco maior, os economistas esperam que a Selic encerre o ano aos 8,00%.

O Focus mostrou ainda que, apesar do avanço mais recente do dólar, para patamares superiores a R$ 4,10, os economistas esperam que a moeda americana termine 2018 cotada a R$ 3,80.

Fonte: O Estado de S. Paulo

publicidade