Portal Eletrolar.com

Notícias

Economia brasileira encolheu 0,38% em agosto, diz BC

Índice considerado prévia do PIB teve queda menor que a esperada pelos economistas


A economia brasileira encolheu 0,38% em agosto em relação a julho, divulgou nesta quarta-feira (18.10) o Banco Central (BC). Apesar de negativo, o resultado, que funciona como uma espécie de prévia do Produto Interno Bruto (PIB), ficou melhor que o esperado por economistas, que previam queda de 0,7%. Já em relação a julho de 2016, houve crescimento de 1,64% (sem ajuste sazonal).

Em julho, a economia havia registrado crescimento pelo segundo mês seguido e numa velocidade acima da esperada, 0,41% em julho em relação ao mês anterior.

Entre janeiro e agosto, a economia brasileira cresceu 0,42%, na série com ajuste sazonal. Já nos últimos 12 meses encerrados em agosto, o país ainda acumula uma retração de 0,89% pelas contas do BC.

Em relatório a clientes, o Departamento de Pesquisa e Estudos Econômicos do Bradesco afirma que o recuo do IBC-Br em agosto não alterou cenário de retomada da atividade

“Esse resultado não altera nossa expectativa de retomada gradual da atividade econômica, com crescimento do PIB no terceiro trimestre. Esperamos ainda uma aceleração da atividade econômica no quarto trimestre, consistente com nossa projeção de uma expansão de 0,9% do PIB neste ano”, diz o texto.

Segundo pesquisa do BC com analistas divulgada nesta segunda-feira (16.10) as expectativas para a economia melhoraram, com previsão de crescimento do PIB neste, ano em 0,72%, 0,02 ponto percentual a mais do que na semana anterior. Para 2018, a conta foi a 2,5%.

IBC-Br

O IBC-Br foi criado pelo BC para ser uma referência do comportamento da atividade econômica que sirva para orientar a política de controle da inflação pelo Comitê de Política Monetária (Copom), uma vez que o dado oficial do Produto Interno Bruto (PIB) é divulgado pelo IBGE com defasagem em torno de três meses. Tanto o IBC-Brquanto o PIB são indicadores que medem a atividade econômica, mas têm diferenças na metodologia.

Esse indicador do BC leva em conta trajetória de variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (indústria, agropecuária e serviços).

Já o PIB é calculado pelo IBGE a partir da soma dos bens e serviços produzidos na economia. Pelo lado da produção, considera-se a agropecuária, a indústria, os serviços, além dos impostos. Já pelo lado da demanda, são computados dados do consumo das famílias, consumo do governo e investimentos, além de exportações e importações.

Fonte: O Globo

publicidade