Portal Eletrolar.com

Notícias

Com Archy, novo sócio, Algar lança operação no Nordeste

É a primeira onda de investimentos da empresa mineira na região, com aporte de R$ 90 milhões


A Algar Telecom lança oficialmente hoje 04.07, sua operação em Fortaleza, por onde pretende expandir-se no Nordeste. É na capital do Ceará que chega o cabo submarino Monet, que interliga as cidades de Santos (SP), Fortaleza e Miami (EUA), por meio de uma parceria entre a Algar, o Google e a Antel (Uruguai). Paralelamente ao Monet, a Algar estendeu mais dois backbones (redes de transmissão) na cidade para garantir redundância na comunicação.

Essa é a primeira onda de investimentos da empresa de Uberlândia (MG) no Nordeste, com um aporte de R$ 90 milhões. Do total, R$ 70 milhões estão destinados às redes metropolitanas e R$ 18 milhões no Monet. As cifras fazem parte do investimento anual médio de R$ 500 milhões a R$ 550 milhões da Algar.

Na segunda-feira, o “Diário Oficial da União” publicou decisão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que concedeu anuência prévia para a entrada da Archy no bloco de controle da Algar. A sócia investidora passa a deter 25% do capital social e votante da tele. A Archy é afiliada do fundo soberano GIC Special Investments, de Cingapura.

Em janeiro, a Algar informou que usaria parte da injeção de cerca de R$ 1 bilhão para consolidar sua presença no segmento corporativo no Sul e Sudeste do país e acelerar a expansão no Nordeste. “O novo sócio entrou com esse modelo de expansão que estamos fazendo. Agora, ele estará mais presente na operação”, disse Jean Carlos Borges, diretor-presidente e de relações com investidores da Algar Telecom, ao Valor.

As novas redes da Algar deverão alcançar inicialmente 18 cidades de Fortaleza a Vitória (ES), disse Borges. Na segunda onda, ainda neste ano, a infraestrutura poderá chegar a 40 ou 46 localidades no entorno do Sul e Sudeste, onde a Algar já está presente. Em 2019, serão selecionadas outras cidades.

A Algar possui uma rede com 48,5 mil km de fibra óptica, distribuída em 336 cidades de oito Estados e no Distrito Federal.

A receita do segmento empresarial da Algar já ultrapassou a de varejo. Com R$ 3,55 bilhões de receita bruta em 2017, telecomunicação respondeu por R$ 2,6 bilhões. Desse valor, 55,4% (R$ 1,44 bilhão) foi proveniente da área empresarial. “B2B já é dominante há mais de dois anos e será cada vez mais representativo na Algar”, disse Borges. “Os investimentos em expansão vão nessa direção e é esperado que aumente o percentual.”

Nas novas localidades, a Algar vai atender a empresas de todos os portes, governos, operadoras concorrentes e provedores de internet. O varejo, por enquanto, não está no radar da companhia.

No portfólio de produtos estarão as opções tradicionais para ambientes corporativos, disse o executivo, como voz, dados, link dedicado e centro de operação de rede. Na linha de tecnologia da informação, entre as opções, estão serviços em nuvem (computação remota) com produtos da Microsoft e do Google até centros de dados. Serviços móveis, contudo, não estão nos planos para o Nordeste no curto prazo. Os diferenciais da Algar para competir nas novas cidades serão a rede 100% em fibra e equipes próprias para garantir a qualidade, disse Borges.

O executivo reconhece que as grandes operadoras já estão presentes no Nordeste, mas disse acreditar que ainda existem oportunidades. Além disso, afirmou que esses concorrentes estão muito focados no varejo, enquanto a Algar busca o B2B.

Fonte: Valor Econômico

publicidade