Portal Eletrolar.com

Notícias

As mais valiosas do mundo

WPP E Kantar Millward Brown revelam as 100 mais valiosas: Google e Apple ocupam os primeiros lugares


A WPP e a Kantar Millward Brown lançam o ranking anual BrandZTM Top 100 Marcas Mais Valiosas do Mundo. Ele identifica e classifica as 100 marcas mais famosas do mundo pelo seu valor em dólar para que as empresas possam avaliar o quanto a “marca” impulsiona as receitas, o crescimento e a capitalização do mercado. Em 1º lugar, ficou o Google, em 2º Apple, em 3º Amazon, em 4º Microsoft, em 5º Tencent, em 6º Facebook, em 7º Visa, em 8º McDonald´s, em 9º Alibaba e em 10º AT&T. O valor da marca Google é USD$M 302,063 e o da Apple é USD$M 300,595.

Apesar da incerteza política e econômica em muitas regiões, este ano o ranking mostra seu maior incremento na história, quase USD$750 bilhões (+21%), colocando o ranking BrandZ Top 100 global no patamar dos USD$4,4 trilhões,k 204% mais desde sua primeira pulbicação, há 12 anos, em 2006.

Pela primeira vez as marcas que não são norte-americanas crescem mais que as dos Estados Unidos. Quatorze marcas chinesas aparecem no Top 100 do ranking. Em 2006, era apenas uma, a China Mobile. O valor total do Top 10 das marcas chinesas cresceu 47% anualmente, mais que o dobro do que as marcas norte-americanas (23%). Outras partes do mundo, como Índia e Indonésia, também mostram forte crescimento regional. O BrandZ Top 100 inclui sete marcas asiáticas (excluindo China), com crescimento de 14%, representando um montante de USD $146 bilhões. O banco regional BCA (No.99) é a primeira marca da Indonésia a entrar no ranking, e temos também a entrada da Maruti Suzuki no Top 10 da categoria de autos pela primeira vez.

De acordo com Eduardo Tomiya, CEO da Kantar Consulting para América Latina, este estudo mostra que atrás de marcas valiosas existem cinco pilares base, são eles: propósito, inovação, comunicação, experiência de marca e love brand. “Aquelas que conseguem neste contexto disruptivo combinar estes cinco fatores com maestria não apenas sobrevivem, mas perpetuam o negócio e se tornam ainda mais valiosas. É sempre se reiventar, e não ficar vivendo da tradição passada”, explica o especialista.

Outro ponto importante é a predominância das marcas de tecnologia no topo do ranking global. Este ano, 53% das marcas mais valiosas são deste segmento, fato que comprova a mudança no comportamento das pessoas quando comparado há mais de dez anos, quando marcas de bebidas e cigarros listavam dentre as mais valiosas. “Marcas que estiverem mais envolvidas com as alterações de percepção dos consumidores e endereçarem a eles uma proposta de valor única terão mais chances de consolidação. Atualmente a tecnologia e serviços estão no nosso dia-a-dia, o que não acontecia anos atrás. Marcas disruptivas como Amazon, Apple, Samsung e Alibaba começam a ter uma nova relevância neste mundo novo”, analisa Tomiya.

Características deste ano

• Oito das Top 10 marcas são de tecnologia ou relacionadas, com Google e Apple mantendo-se na primeira e segunda posição, crescendo +23% para $302.1bn e +28% para $300.6bn respectivamente.
• Amazon subiu para a terceira posição à frente da Microsoft, crescendo +49% para $207.6bn. Tencent subiu para a quinta posição à frente do Facebook (6o colocado), crescendo +65% para $179bn. Marcas relacionadas à tecnologia somam agora mais da metade (+56%) do valor total das Top 100 marcas mais valiosas.
• Entretenimento! Assistir programas no Netflix, compartilhar histórias no Facebook e fazer download de conteúdo no Itunes da Apple contribuiu para um ano recorde de crescimento de valor de marca.
• Crescimento recorde – O valor das Top 100 marcas mais valiosas do mundo teve crescimento recorde de 21%, somando quase $750bn ao ranking, agora avaliado em $4.4trilhões – quase o GDP do Japão.
• As marcas de tecnologia travaram guerra contra marcas de consumo. Na ‘batalha das marcas’, empresas de tecnologia como Amazon, Alibaba e eBay saíram vitoriosas contra marcas de consumo, mudando o equilíbrio de poder no BrandZ Top 100, respondendo por mais da metade (+56%) da marca total valor.
• Os recém-chegados incluem o gigante de telecomunicações norte-americano Spectrum (nº27), a Uber (nº81), o Instagram (nº91) e a primeira marca indonésia no ranking BCA no no.99.
• O varejo foi a categoria que mais cresceu: +35% em valor nos últimos 12 meses, impulsionada por marcas de comércio eletrônico.
• O marketing liderado por inteligência, como o AI e o AR, permite que as marcas “reavaliem e prosperem” e mantenham a relevância para os consumidores.

“Este ano o aumento no valor de marca é excepcional, impulsionado pelo crescimento em diferentes categorias. Tanto os novos entrantes como os já estabelecidos demonstram que ser ousado e adaptar-se a uma visão de longo prazo sobre a construção da marca é lucrativo”, comenta David Roth, da WPP.

Fonte: Tamer Comunicação

publicidade