Portal Eletrolar.com

Notícias

Apple Pay chegará ao Brasil nos próximos meses

Sistema de pagamentos da Apple para aparelhos que rodam iOS vai rivalizar com Samsung Pay e Android Pay.


A Apple anunciou na quinta-feira (1º.02)que o Apple Pay, seu sistema móvel de pagamentos, chegará ao Brasil nos próximos meses. O comunicado foi feito por Tim Cook, presidente-executivo da empresa, durante a conferência para comentar os resultados financeiros da empresa em 2017.”O serviço mais do que triplicou quando comparado com o mesmo período do ano anterior e estamos muito entusiasmados em anunciar que vamos levá-lo para o Brasil nos próximos meses”, afirmou Cook.

O Apple Pay faz parte da área de negócios que engloba os conteúdos digitais, a mesma do AppleCare. No trimestre encerrado em dezembro de 2017, essa divisão desbancou os Macs e passou a ser a segunda maior para a Apple em volume de receita. O faturamento dela foi de US$ 8,471 bilhões no quarto trimestre do ano passado.

A Apple não detalhou a data em que o serviço desembarca no Brasil, mas o país será o primeiro da América Latina a recebê-lo. Por enquanto, o Apple Pay está disponível em 20 países.

O serviço funciona apenas com aparelhos que rodam o sistema operacional da Apple, o iOS. Com ele instalado em um iPhone, por exemplo, basta aproximar o aparelho de uma máquina de cartão para fazer um pagamento.

Quando chegar ao país, ele vai rivalizar com Android Pay e Samsung Pay. O primeiro funciona em smartphones que rodam Android e o segundo, apenas em celulares da Samsung, que também adotam a plataforma do Google.

Apple tem lucro recorde de US$ 20 bilhões no trimestre encerrado em dezembro

A Apple registrou lucro recorde de US$ 20,065 bilhões no primeiro trimestre de seu exercício fiscal de 2018 — encerrado em 30 de dezembro de 2017. O resultado representa uma alta de 12% em relação ao mesmo período do exercício anual anterior. A companhia informou que, nesse mesmo trimestre, obteve investimentos avaliados em US$ 88,293 bilhões, número 13% maior.

O lucro líquido por ação da Apple foi de US$ 3,89, frente aos US$ 3,36 obtidos no primeiro trimestre do ano fiscal de 2017. Os resultados foram melhores que o esperado pelos analistas.

Segundo a Apple, o iPhone segue sendo responsável pela maior parte de seus investimentos, mas vendeu menos que no mesmo trimestre do ano anterior (77,316 bilhões de unidades, quase 1 bilhão a menos), mas aumentou o seu faturamento com US$ 61,576 bilhões, um crescimento de 13%.

A categoria de serviços, que engloba conteúdos digitais, AppleCare e Apple Pay, foi a segunda que mais contribuiu (US$ 8,471 bilhões), deslocando os computadores iMac.

O número de iMacs vendidos caiu em relação ao exercício anterior, bem como o seu faturamento: 5,112 bilhões de unidades representaram US$ 6,895 bilhões, frente aos 5,374 bilhões de 2016, que representaram US$ 7,244 bilhões.

Por outro lado, os iPad ganharam peso, com 13,17 bilhões de unidades vendidas, com investimentos de US$ 5,862 bilhões, assim como outros produtos como Apple TV, Apple Watch e iPod Touch (US$ 5,489 bilhões).

APPLE

Fonte: G1

publicidade