Portal Eletrolar.com

Notícias

Acordo internacional para desenvolvimento da tecnologia 5G terá apoio do Brasil

O país é o sexto a participar das tomadas de decisão sobre o funcionamento da tecnologia 5G no mundo

shutterstock_378586756-500x300

Um acordo internacional de cooperação tecnológica foi assinado entre o Brasil, a União Europeia (UE), os Estados Unidos, a Coreia do Sul, o Japão e a China para o desenvolvimento da tecnologia 5G. A parceria foi firmada por representantes do Projeto 5G Brasil – composto por 18 entidades representativas, empresas e centros de pesquisa brasileiros, com participação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) –, durante o Third Global 5G Event, realizado em Tóquio, no Japão, em maio.

O País é o sexto a participar das tomadas de decisão sobre o funcionamento da tecnologia 5G no mundo, desde a pesquisa até a padronização e a implementação da plataforma. “Com isso, o Brasil entra para um seleto time que assumiu a liderança no desenvolvimento da tecnologia móvel de quinta geração”, explicou o secretário de Política de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão.

Cada nação do grupo, além da União Europeia, possui uma associação para discutir o desenvolvimento e promover o 5G. Essas associações, incluindo agora o Brasil, fazem acordos multilaterais para desenvolver a tecnologia, com ações como chamadas de pesquisas conjuntas, fóruns de padronização e eventos anuais para compartilhamento de informações.

A participação do Brasil é uma consequência de ações anteriores para o desenvolvimento da tecnologia 5G no país. O governo brasileiro já havia assinado acordos de cooperação com a União Europeia e a Coreia do Sul para trocar experiências e informações sobre a tecnologia. Além disso, em fevereiro deste ano, formalizou a criação do Projeto 5G Brasil para fomentar a construção do ecossistema de telefonia móvel de quinta geração em solo brasileiro.

“O Brasil tem conquistado, cada vez mais, um lugar importante nas discussões internacionais sobre o desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação [TICs]. Isso demonstra que temos tomado decisões acertadas quanto ao investimento em projetos de pesquisa e desenvolvimento neste campo”, ressaltou Maximiliano Martinhão.

Fonte: Agência Gestão CT&I

publicidade